top of page

O RH tá cansado

Atualizado: 27 de jan.

E, provavelmente, você também


Artigo por: Ana Tomazelli, founder da ONG @ipefem


Toda profissão é desafiadora, né? Mas algumas, principalmente aquelas que cuidam de outras pessoas, merecem uma atenção especial: profissionais da saúde, pessoas cuidadoras domésticas e profissionais de Recursos Humanos estão no topo das atuações que nem sempre encontram programas de apoio exclusivos, por exemplo.


Quem cuida de quem cuida?


No caso de profissionais de Recursos Humanos, os desafios não são só de saúde mental, mas, também, de diversidade! Afinal, as pessoas que trabalham em uma empresa vão buscar por quem pra resolver os conflitos, denunciar assédios, pedir um apoio? A área de RH ainda é formada por uma maioria de mulheres que, além das atividades relacionadas ao trabalho em si, são convocadas a oferecer acolhimento para questões sensíveis, em geral, relacionadas a conflitos que carregam desafios quanto a gênero, raça e diversidade.


Mas, vamos começar do começo?


Cinco coisas que você precisa saber sobre o que acontece no RH:


1. "É a maior despesa fixa"


Em geral, sim. E é por isso que o Financeiro odeia a gente (risos nervosos). Porque, por mais moderna que a empresa seja, por mais bonito que seja o nome do RH, por mais estratégica que seja a área, com indicadores, ROI, etc, ainda existe a visão de que somos a maior despesa fixa. Ponto. Isso determina muito do que acontece daqui pra frente:


2. "Precisa cortar pessoas"


O time de RH quase nunca é ideal: pouca gente pra demanda daquele assunto, uma pessoa acumulando várias frentes, manutenção apenas das áreas "necessárias" como Contratação de Pessoas & Folha de Pagamento, por exemplo. E, quando dá uma dor de barriga, adivinha? É no número de pessoas da empresa que precisamos mexer, dentre outras frentes.


3. "Vai lá no posto Ipiranga"


Além dos desafios mais amplos e corporativos e das atividades de rotina, milhares de pequenas demandas surgem o tempo todo no RH: conflito entre equipes, denúncias de assédio moral e sexual, casos de racismo, homofobia, misoginia. O RH, sendo a área reconhecida pra acolher e encaminhar essas demandas, além de educar as pessoas e as lideranças, simplesmente não tem estrutura física (pessoas x tempo) e, muitas vezes, ainda não tem a profundidade técnica em tantas frentes pra dar conta de tudo.


4. "O RH não serve pra nada"


Com isso, é muito comum que as pessoas que trabalham naquela empresa, tenham uma visão muito ruim do serviço prestado por esse time, sem saber os bastidores do que realmente ocorre. Sentem que não possuem respaldo, ajuda, orientação adequada. É claro que os times de RH também precisam seguir avançando, mas eu te pergunto, de novo: quem cuida de quem cuida? Quem cuida do RH da sua empresa?


5. Autocuidado é importante.

Cuidado corporativo, também. A autorresponsabilidade é o pilar fundamental pra qualquer profissional: se cuidar, estudar, saber seus limites são os primeiros passos pra desenvolver uma carreira de sucesso. Além disso, todo mundo que cuida de pessoas também precisa receber cuidado, pra que esse ciclo seja sempre virtuoso e não vicioso.


Isso faz sentido pra você?



Ana Tomazelli

founder da ONG @ipefem

e da startup @_endavant


bottom of page