(adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({ google_ad_client: "ca-pub-7023691199406749", enable_page_level_ads: true }); Como construir uma comunidade apaixonada pela sua marca

Como construir uma comunidade apaixonada pela sua marca

October 2, 2018

 

Tá, e por que eu tenho que me preocupar com isso? Por que, tecnologia é commodity. Uma ou duas features do concorrente te tiram do jogo. Se não for para desenvolver algo que melhore a vida das pessoas, não faz sentido. Só as pessoas importam.

 

Quando idealizamos a B2Mamy não sabíamos o que iríamos vender, mas sabíamos o porquê (ver o Círculo de Ouro de Simon Sinek) estávamos construindo algo. Precisávamos genuinamente nos unir com mães que tinham o mesmo desafio de perfomar no trabalho e buscar nossos filhos na escola. Começamos pelo coração ou seja, começamos pela comunidade.

 

O que sonhamos desde o primeiro dia vemos bem em nossa frente acontecer. Mentoras engajadas, investidoras anjo disponíveis, quem está começando ajudando quem está no zero, ecossistema ligando: Me manda uma mulher porreta aí! Impossível passar um dia na B2Mamy e não se sentir parte. Não se engane, a jiripoca pia quando estamos falando de negócio, mas temos todas a mesma lágrima que não cai dos olhos. Quer dar asas a alguém basta segurar sua mão.

 

Foi assim que errando e acertando, nossas personas foram chegando organicamente e elas foram desenhando as regras e nós fomos deixando o que tinha fit com a nossa cultura (ler a importância da cultura organizacional):

  • Primeiro junto, depois perto e depois dentro

  • Venda e negócios só vem depois de relacionamento, give first e give back

  • Bota elas no palco, Fight Like a Mother e SoulB2Mana

  • Lança lean, erra barato, aprende rápido e lança de novo

  • Fazer mais com menos

  • E claro, não seja uma FDP (transparência nas relações comerciais)

Recentemente ganhei do @marcopoli uma dica de ouro. Ele me disse: "Dani, vocês tem muito de Primal Branding (eu fiz cara de inteligente, mas não fazer ideia do que era), só precisam fazer isso de forma mais organizada". E me passou a dica do livro em inglês. Eu pensei: Meu, deve ter um vídeo disso. E tinha! (ver Ted Patrick Halon).

 

Minha leitura sobre os pontos mais relevantes do Primal Branding:

 

1) Não importa o que você diz sobre a sua marca. Só importa o que a comunidade reproduz;

 

2) Não é a qualidade do produto que importa. E sim a qualidade da comunidade que você constrói ao redor dela.

 

3) E a mais relevante: Branding não é seu logotipo é seu sistema de crenças e Comunidade não se constrói pelos seus produtos. Você precisa construir um sistema de crenças. Que é dividido e disseminado por pessoas que passam a ter a mesma crença e por fim se desenha sua comunidade. São 7 elementos chaves para essa construção e que você pode ativar:

 

1 Storytelling - Quanto mais a história história do começo estiver alinhada com o que pretende a sua comunidade, mais genuína é a relação;

 

2 Cultura - Os valores e o propósito tem que ser vividos pelos líderes da marca e por toda a empresa. Pensar e agir devem ter consonância;

 

3 Ícones - Crie ícones que estejam presentes e impactem os sentidos: audição, cores, odores, texturas, gosto. Criar sensacões, provoca conexão;

 

4 Rituais - Número de experiências positivas e engajamento com a sua comunidade. Fazer de forma profunda, recorrente e relevante. Sentir que existe um ritual para entrar, permanecer, se unir. Devem entender em que parte se encaixam;

 

5 Palavras especiais - Usar termos, palavras ou # que identifiquem: Aqui tal comunidade está presente. Um código "secreto" tipo Clube da Luta.

 

6 Pessoas que não acreditam - Haverá pessoas que não acreditarão. Que negarão ou não consumirão. Ótimo! É a necessidade de inovação batendo na nossa cara.

 

7 Líder - Ter um líder. Que não pare por mais que todos os cenários sejam negativos. Que seja capaz de reunir todo o sistema de crença, inspirar e dar esperança.

Eu acrescentei o item 8 que é meu número da sorte e por que sim.

 

8 Indicadores - Desenvolva indicadores para entender como a sua comunidade está, suas necessidades, para inovar, para entender novas rotas.

Algumas outras dicas:

De todo meu coração, Dani Junco

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Post em Destaque

Business Intelligence: saiba como aplicar a análise de dados na sua empresa

December 10, 2018

1/10
Please reload

Posts Recentes
Please reload

Pesquisa por Tags