top of page

Manifesto para garotas no mercado de trabalho

Por Dani Junco para Startups

Foto: Paulo Liebert

Ele fechou a porta da sala, segurou meu braço e exclamou: “Grande você, né?”. Eu ainda não consigo falar sobre isso sem meu estômago embrulhar e a voz embargar.


Você já passou por algo assim? Ou por algo que não sabe claramente se foi algum tipo de assédio? Já sentiu diferença no tratamento dos líderes por você ser mulher, mesmo que a pessoa não esteja nem percebendo esse viés ?


Dados do Tribunal Superior do Trabalho (TST) apontam que, somente em 2021, foram ajuizados, na Justiça do Trabalho, mais de 52 mil casos relacionados a assédio moral e mais de 3 mil relativos a assédio sexual em todo o país, e claramente esse número não é maior porque nem todas nós denunciamos por medo de retaliação.


Eu sou uma dessas denúncias não feitas e que até hoje me atrapalha por aqui.

Alguns tipos comuns de assédio que as mulheres enfrentam no mercado de trabalho incluem:


| Assédio Verbal: Comentários, piadas ou insinuações de natureza sexual ou depreciativa em relação às mulheres.


| Assédio Não-Verbal: Expressões faciais, gestos, olhares ou outras formas de comunicação não verbal que tornam as mulheres desconfortáveis ou desrespeitadas.


| Assédio Sexual: Avanços indesejados, propostas sexuais, toques indesejados ou qualquer outra forma de comportamento sexual não consensual.


| Assédio Psicológico: Ameaças, intimidação, ridicularização, ou qualquer ação que cause constrangimento ou medo à vítima.


| Discriminação de Gênero: Tratamento injusto ou desigual baseado no gênero da pessoa, prejudicando suas oportunidades de progresso na carreira.


Depois de entender e nomear fica impossível desver. E convoco mulheres e homens aliados a prestarem mais atenção a baia ao lado. Estatisticamente tem ao menos uma mulher que você conhece passando por algum assédio. Entenda o caminho de como fazer isso e denuncie.


Escrevi um manifesto para lembrar as garotas no mercado de trabalho para serem protagonistas da sua carreira:


1) Seja barulhenta. Se o projeto é seu, ninguém deve levar o crédito

2) Ocupe o espaço que disseram que não era para você

3) Pare de pedir desculpas e comece a pedir que não te interrompam

4) Acredite na sua intuição ela é a soma do seu repertório e da sua visão

5) Pare de dizer não quero porque sou comprometida e sim, pare porque isso é assédio e assédio é crime

6) Não se estique ou se esprema para caber, não existem duas de você

7) Responda isso não é da sua conta se você se sentir invadida

8) Não ria de piadas que não tem graça nenhuma e devolva com uma pergunta

9) Seja sarcástica, espirituosa, chore e ria. Sua vulnerabilidade é potência

10) Ajude outras garotas e peça ajuda

11) Diga em voz alta o que te incomoda

12) Se te chamaram para a reunião seu tempo e voz importa

13) Vá na mente repetindo "espero que eu goste deles"

14) Deixe claro se estiver começando e peça ajuda

15) Seja escudo e seja espada


E uma dica você que está recebendo uma pessoa nova no seu time ou liderando uma garota, é só ser uma boa pessoa. Se isso não funcionar, tente pensar que poderia estar acontecendo com uma mulher que você ama.




Escrita por Dani Junco, mãe do Lucas, CEO da B2Mamy - Socialtech que conecta mães e mulheres em comunidade, tornando-as líderes e livres economicamente por meio de educação, empregabilidade e pertencimento.

Comments


bottom of page